Mentoria 2017: Inscrições Abertas

Este ano meu curso online de fotografia, a Mentoria, completa sete anos. Eu, que nunca pensei em ser professora, descobri em mim um novo lado que não imaginava existir, e hoje posso dizer que ensinar fotografia me realiza tanto quanto fotografar, e as duas atividades fazem parte de minha vida e se completam. Ensinar faz de mim uma fotógrafa muito melhor, desde que comecei a dar aulas eu cresci junto com cada aluno e aprendo tanto quanto ensino. E minha experiência de quase 15 anos fotografando e estudando, faz com que eu possa reproduzir essa trajetória, colocando tudo que aprendi ao alcance de cada aluno, colocando atalhos em seus caminhos em busca do aprendizado fotográfico.

Para mostrar os resultados da Mentoria, costumo mostrar o “antes e depois” dos meus alunos e seus depoimentos a respeito do curso, mas desta vez vou fazer diferente. Vou mostrar a trajetória de minha aluna Divanini Menezes Estuqui, com muitas fotos, e entremear seu depoimento com meus comentários. Dessa forma, quem está interessado em fazer um curso terá uma visão ampla, com dos dois lados: professora e aluna.

Vamos começar com a introdução escrita pela Divanini:

“A arte de fotografar sempre me chamou a atenção, tinha vontade de de estudar o assunto, mas tive que deixar em “stand-by” esse meu desejo, em razão da maternidade…
Sabia que uma amiga minha tinha feito a mentoria, já tinha visto postagens em que ela se reportava as aulas. Essa amiga ( Ana Luísa Borges), que faz fotos lindas, passou-me todas as informações e eu entrei em contato com a Luciana Prado.”

Muitos dos meus alunos chegam à Mentoria exatamente assim, através da indicação de amigos ou conhecidos que fizeram o curso. Isso me enche de orgulho e satisfação, porque não há retorno melhor do que uma indicação, é um sinal que o aluno ficou plenamente satisfeito. E assim, ao longo destes sete anos ensinando, vou formando uma rede cheia de conexões e amizades.

“Desde o primeiro momento, ela foi super atenciosa, fiz a matrícula e foi então que ela me pediu algumas fotos 😬😱😂
Sequer sabia mexer na câmara do meu marido, imagina tirar fotos…enviei algumas e esse foi início de uma aventura maravilhosa para mim.”

Tive que rir quando li esta parte do depoimento e os emoticons desesperados! kkkk Antes de iniciar a mentoria, sempre peço que o aluno me envie as fotos que sejam representativas de sua produção. Uso esse material para preparar o início do curso, que é sempre personalizado, e também para usar no “antes e depois” que faço de meus alunos. Costumo pedir as fotos dez dias antes da data marcada para começar. Estava estranhando a demora da Divanini em colocar as fotos, cheguei a reiterar o pedido algumas vezes e ela, nada. Até que este diálogo no grupo, que tenho no facebook com cada aluno da mentoria, me fez entender o problema:

divaniniblog

O alívio dela quando contei da aluna que colocou fotos de celular foi evidente, e pouco depois as fotos dela foram colocadas em um álbum em nosso grupo. A demora aconteceu porque ela achava que não tinha fotos “à altura” de postar, por isso ela sofria sem saber o que fazer.  Mas  quando eu peço que o aluno me mostre sua produção atual não tenho nenhuma expectativa, pelo contrário, qualquer que seja o nível das fotos, ele é exatamente o que eu quero ver, para começar a traçar o percurso do aprendizado. Divanini sofreu à toa, rs, mas aprendeu a lição, pois depois disso ela passou a postar fotos quase que diariamente, na certeza que não seria julgada e sim ajudada, sempre, a evoluir. E foi o que aconteceu. A seguir, o tão esperado álbum:

antes

E a partir daí, estava dada a largada! Tivemos nossa primeira aula de voz, via skype, e nosso convívio diário começou:

“A Luciana Prado e a Vanessa Botelho começaram a fazer parte do meu dia a dia, através de vários exercícios e análises de fotos. Na primeira aula por Skype, a Lu já configurou a máquina para mim, o que me ajudou não só na hora de tirar fotos, mas a perder o medo de mexer na câmara…”

Na primeira aula, pedi que Divanini estivesse com a câmera, que iríamos configurar juntas, para ela começar a usar. Logo ficou claro que ela realmente não tinha nenhuma intimidade com a câmera, e nos primeiros momentos percebi que ela ficou até um pouco nervosa, pois como ela mesma disse, não tinha conhecimento algum. Quando viu que eu não esperava isso dela, e que tinha toda a disposição do mundo para explicar cada “botãozinho” que ela devia procurar, onde estava e o que fazia, sem nenhum termo técnico que ela não compreendesse e muita paciência e risadas, ela relaxou, perdeu a timidez e tivemos uma aula muito produtiva, que abriu caminho para os excelentes resultados que ela apresentou dali em diante.

Incansável, ela fotografava quase todos os dias! Família, amigos, conhecidos, todos passaram a ser modelos de seus treinos. E se não havia ninguém disponível, ela fotografa flores, paisagens, objetos.

modelos

flores

E quando digo que ela fotografava muito, não estou exagerando. Vejam este álbum, além das fotos que aparecem na prévia, ela postou mais 365! E isso era constante durante o curso:

365

“Nossa, revi todos os meus conceitos sobre fotografia, não existiu dúvida, que eu tenha colocado na mentoria, que não tenha sido respondida quase que imediatamente… Aprendi tantas coisas que seria impossível enumerar!”

Sempre digo que a mentoria é uma ligação intensa. Durante o tempo do curso, eu e Vanessa estamos sempre presentes, para atender cada aluno. Quando a mentoria está se aproximando do fim, a frase que mais ouço dos meus alunos é que não querem que termine, que não sabem como vai ser sem a mentoria, que já estão sentindo saudades. E nós sentimos também, pois após três meses de convívio intenso, ensinando e vibrando a cada conquista, cada aluno passa a fazer parte de nossas vidas!

“Esta maravilhosa Mentoria deixou-me mais sensível para as pequenas coisas…vibro quando vejo uma luz que pode ser muito bacana para as fotos, jamais tinha olhado tão de perto aquele brilho maravilhoso que existe nos olhos dos meus filhos, tive certeza que a felicidade pode ser eternizada, e que fotos podem ser espontâneas sim!”

Sim, a mentoria ensina a ver. O mundo cada dia mais apressado nos ensina desde pequenos a não prestar atenção. É preciso olhar o farol para atravessar rapidamente a rua, não o colorido misturado dos carros que passam na transversal nem os pássaros que se equilibram nos fios elétricos. É preciso ouvir o que alguém diz, não se perder no brilho dos seus olhos. É preciso saber que horas são, não perceber como a luz bate no piso da sala no fim do dia. Para fotografar, é preciso descondicionar o olhar, submetido a esse treino, e aprender não apenas a ver, mas traduzir o que vemos no retângulo que contém cada fotografia.

“Com a Mentoria aprendi que o sol não precisa gritar nas fotos, que um dia nublado pode não ser triste…e que aquela árvore, que nunca nos chamou a atenção, pode se tornar a mais linda moldura.
Aprendi que o jardim de casa pode ser o melhor estúdio, e que, como a Luciana tinha me dito na primeira aula, a fotografia pode fazer de um lugar minúsculo e sem vida, o mais lindo cenário…e que não adianta fotografar um lugar maravilhoso, sem um olhar especial e a técnica adequada. 
Hoje, olho para trás e já não lembro o antes dessa mentoria, que nos melhora não só do ponto de vista técnico. Para mim, já não sou aquela pessoa de antes que demorou quase duas semanas para enviar as primeiras fotos…estou mais corajosa 😂😂😂”

Sim, depois daquele primeiro momento, coragem foi o que não faltou à Divanini. Ela se jogou com vontade na mentoria, fez milhares de fotos, exercícios, tirou todas as dúvidas que foram surgindo através de perguntas.  Não é à toa que o resultado dela impressiona, sempre digo que quanto mais o aluno coloca na mentoria, mais ele ganha! Porque eu posso ensinar, mas o ritmo do aprendizado quem dá é o aluno, através de sua dedicação, como foi o caso de Divanini nesses três meses de trabalho intenso!

“E sei que tenho muito mais a aprender, por isso resolvi fazer matrícula para a Mentoria estendida 2017. Não tenho como agradecer a Luciana Prado e a Vanessa Botelho…e jamais conseguia falar tudo de bom que acho dessa mentoria, fica um MUITO OBRIGADA e até 2017!”

Não poderia ter forma melhor de encerrar este post e iniciar o ano da mentoria do que esta frase. Em fevereiro, quatro das cinco vagas oferecidas serão ocupadas por alunos que estiveram comigo em 2016. Esse retorno, além de me trazer a certeza de estar fazendo um bom trabalho, me traz imensa alegria e estímulo, porque é muito bom poder aprofundar os conhecimentos de cada aluno, personalizando ainda mais o aprendizado.

Tenho agora apenas uma vaga para iniciar a mentoria estendida no dia 6 de fevereiro. E a partir de hoje, estão abertas as inscrições para iniciar a mentoria no dia 6 de março. As vagas são para a mentoria estendida de três meses. Para saber mais informações, é só entrar em contato através do email info.mentoria@gmail.com. Aguardo vocês para aprender fotografia neste novo ano!

A seguir, as fotos que mostram o excelente resultado da Divanini. É com muito orgulho que mostro cada uma destas fotos, que representam não apenas a dedicação que ela colocou em cada etapa do aprendizado mas também o seu talento, que eu ajudei a trazer à tona, mas que tenho certeza que sempre existiu dentro dela! Parabéns, Divanini!

divanini2

divanini3

divanini5

divanini1

divanini8

divanii7

divanini6

divanini4

E, para finalizar a seleção, uma foto que Divanini apresentou no final na mentoria, super orgulhosa de ter conseguido um efeito de desfoque que sempre apreciou e queria aprender a fazer. E eu fico explodindo de orgulho, vendo que alguém que chegou à mentoria sem saber usar a câmera, aprendeu a fazer uma foto com tanta precisão de foco, mostrando um domínio técnico impressionante, conseguido através de muito estudo e prática.

desfoque1

Comentários